Notícias

Ao Mestre com carinho


    (02/07/12)  

Na fase final de estreia no UFC nos EUA, Marcelo Guimarães, o Magrão, lembra dos responsáveis pela sua formação e demonstra gratidão ao conceituado técnico Alexandre Kaveira.



No conforto do lar, com os pais queridos, senhor Hélio e Dona  Aidêe aprendeu os bons modos, disciplina, ética e moral. Da família herdou a coragem para aprender a ser um cidadão de bem e um homem de boa vontade, mesmo apaixonado pelo esporte de impacto. Assim, foi o começo de Marcelo Guimarães, um jovem comum, que como tantos, sonhou e agora galga o degrau da realização pessoal que custou muita dedicação.

         Bom aluno, recebeu de dezenas de professores, uma sólida educação até a graduação de educação física. Não foi fácil conciliar os estudos com os intensos treinos de um campeão. Mas venceu também este degrau. Jamais esquecerá cada dificuldade que conseguiu transformar em conquista.

         Era Magrinho, mas nas academias foi brindado pelo carinhoso apelido de Magrão, uma graduação pela persistência e força de vontade. A própria natureza premiou Marcelo com potência física e talento inquestionável nas artes marciais.

         Como no filme do astro Sidney Poitier, Marcelo recebeu atenção especial de um Mestre, com M maiúsculo, amigão e irmão, professor Alexandre Kaveira. Pode parecer fragilidade emocional, mas mesmo um temperado e equilibrado lutador precisa ter sensibilidade para nunca esquecer os verdadeiros valores da vida. “Kaveira, seu primeiro mestre de artes marciais, mesmo nos momentos duros, não perdia a firmeza de quem deseja o bem ao próximo. Dedico-lhe estas linhas de gratidão. Pois sem seu conhecimento, não teria realizado muitos sonhos”, reconheceu Marcelo.

         Na bagagem para os EUA, além do talento próprio, leva o apoio do Mestre Kaveira, que ensinou no chão como combater com técnica, força e coração. Sou grato aos meus pais, meus professores, amigos da equipe Fight Society da Vitória Combat, professores Hugo Miranda, Fabrício Gaia, mas destaco, neste momento, o exemplo de perseverança do Mestre Kaveira. Pretendo honrar a sabedoria deste homem de boa vontade e trazer para o Espírito Santo uma Vitória.

         Já estou nos EUA com meu pai Hélio, Lucas Codam,  Luiz Felipe Jodima, claro, não podia faltar o mestre Alexandre Caveira, corrigindo e acertando os últimos detalhes de uma longa preparação. “sinto saudade dos que não vieram, mas lutarei pensando em todos que somaram na minha carreira. Pelo site, darei detalhes das emoções em San José”.

         “Finalizo estas linhas, agradecendo ao nosso Pai Superior e pedindo cada vez mais coragem para vencer o adversário no próximo dia 11. Este sonho realizado é uma vitória, Kaveira, é nossa, é da academia, dos amigos, parentes, patrocinadores, mas especialmente é fruto do seu trabalho paciente e dedicado. Obrigado amigo Kaveira.....