Notícias

Marcelo Magrão analisa adversário no UFC Japão: ‘Ele é o Jon Jones asiático’


    (21/12/12)  

A expectativa de lutar no palco onde Wanderlei Silva travou lutas épicas contra Kazushi Sakuraba animou Marcelo “Magrão” Guimarães. O capixaba, que fará sua segunda peleja na organização dia 03 de março, contra o sul-coreano Hyun Gyu Lim, na aclamada Saitama Arena, no Japão, afirmou, em entrevista à TATAME, que a primeira luta que viu na vida foi do “Cachorro Louco” contra o “Caçador de Gracie”.

“Essa luta representa tudo isso que estou vivendo. A primeira luta que assisti na vida foi a do Wanderlei Silva contra o Sakuraba. Naquela época eu nem imaginava treinar e hoje farei minha segunda luta no Japão, onde eles consideram os lutadores como samurais”, disse o atleta, que está invicto, à espera do combate.

“A gente nunca encontra uma solução exata para essa expectativa, esse ‘medo’ que dá na véspera das lutas. Isso se combate com treino, que dá a segurança, a sensação de que você fez tudo e estará pronto para dar o seu melhor”.

Treinando Muay Thai e Boxe com Hugo Miranda e MMA com Alexandre Kaveira, Magrão sabe que terá pela frente um adversário que, embora seja estreante, defende invencibilidade de cinco lutas.

“Ele tem envergadura de dois metros. É considerado o Jon Jones asiático, nocauteia, finaliza, tem gás, é forte e gosta de brigar. Será mais uma batalha daquelas. É difícil achar muita coisa dele, mas nas lutas que eu vi, ele nocauteou ou finalizou. Estou mirando nos pontos fortes dele para me impor na arena e lá buscarei as suas fraquezas”.

Apesar da vitória na estreia, contra Dan Stittgen, Magrão não apresentou boa performance e afirmou que está mais focado no resultado do que na plasticidade do duelo.

“Eu faço o máximo dentro das minhas condições e limitações. Infelizmente, não posso largar o Jiu-Jitsu de lado e focar na trocação. Na última luta eu queria trocar um pouco, mas o americano me deu um monte de lambada que tive que agarrar sem pensar duas vezes. Eu preciso vencer essa luta de qualquer jeito, é claro que uma boa exibição agrada o público, mas uma vitória garante meu salário e minha posição na chave”.
Fonte: Tatame